Para tirar o Brasil da crise

Laura Carneiro sobre a PEC 241

Na última madrugada (26/10), votamos na Câmara a PEC que limita os gastos públicos. A proposta, que será apreciada pelo Senado, prevê que o teto de gastos dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário só poderá crescer de acordo com a inflação.

Os sistemas de Saúde e Educação continuarão funcionando como ocorre hoje – sem teto de gastos. Outro fator importante é que, com a economia estagnada e o número de desempregados aumentando, é fundamental sinalizar para o mercado que não haverá aumento de impostos. Com essa proposta, o governo estará fazendo a sua parte para a retomada de investimentos privados e a geração de empregos.

O último governo gastou muito mais do que arrecadou, e por conta disso, o País está correndo sério risco de parar de funcionar. No ano passado, no Governo Dilma, o então ministro da Fazenda, Joaquim Levy, vindo do sistema financeiro, propôs uma medida semelhante à PEC 241 , mas os congressistas do próprio governo rejeitaram a proposta e mergulharam o País no caos econômico em que estamos.

Um país é como a sua casa, quando você gasta mais do que ganha, suas contas explodem e sua vida fica inviabilizada. O Brasil pode ficar inviabilizado, sem dinheiro para as imprescindíveis políticas sociais, sem dinheiro para pagar salários de funcionários e aposentados, e a vida das famílias brasileiras ficará ainda muito mais difícil. As políticas sociais podem acabar por absoluta falta de dinheiro para pagá-las! Acabou o tempo de fazer política com discursos demagógicos e irresponsáveis.

Está na hora de desideologizar a política, de fazermos as contas seriamente e de unirmos o Brasil para retirá-lo do atoleiro a que foi submetido por políticas bem intencionadas, mas que nos colocaram numa das maiores crises econômicas e políticas da história.

Por Laura Carneiro 

Compartilhe

TwitterFacebookGoogle+Pin It

1 Comentário para "Para tirar o Brasil da crise"

  1. Excelentissima Senhora Deputada Laura Carneiro,
    O Governo para fazer a parte dele deveria cortar na carne e nao fazer o que esta fazendo: 20/07/2016 20h18 – Atualizado em 20/07/2016 23h38
    Temer sanciona reajuste de até 41,4% para Judiciário e de 12% para MPU
    STF informou que aumento será feito de forma escalonada, em 8 parcelas.
    Segundo a Casa Civil, lei que reajusta salários foi assinada sem vetos.
    Em uma familia quando os gastos estao maiores que a renda, quem detem o maior poder aquisitivo colabora mais !

    Infelizmente nao e o que ocorre com o governo brasileiro, que tao logo assume o poder aumento descaradamente os beneficios de quem ja detem o maior poder aquisitivo. POR QUE AINDA NAO APROVARAM O IMPOSTO SOBRE AS GRANDES FORTUNAS? POR QUE OS SERVICOS PUBLICOS SAO DE PESSIMA QUALIDADE SE ARCAMOS COM UMA DAS MAIORES CARGAS TRIBUTARIAS DO MUNDO? POR QUE O PRIMEIRO A FICAR SEM O SEU SALARIO E O FUNCIONARIO PUBLICO QUE GANHA PARA COMER? POR QUE NAO DEIXAR SEM TANTAS MORDOMIAS E DEIXAR DE PAGAR PRIMEIRO OS POLITICOS QUE EM GRANDE PARTE SAO EMPRESARIOS E PARA ELES NAO FARIA TANTA FALTA? NA VERDADE O QUE FALTA EM NOSSO PAIS? ATE QUANDO O POVO VAI TER QUE PAGAR A CONTA PELO DESGOVERNO EM NOSSO PAIS?
    COM TODO RESPEITO, FANOR.

    m uma casa quando os gastos estao maiores que a renda, quem colabora mais e quem detem o maior poder aquisitivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *